Artigo – Congresso Nacional do PCdoB. Um ato político em defesa da nação, da democracia, do desenvolvimento nacional e dos direitos – por Lino Portela - Blog do Edvaldo Magalhães

21 de novembro de 2017

Artigo – Congresso Nacional do PCdoB. Um ato político em defesa da nação, da democracia, do desenvolvimento nacional e dos direitos – por Lino Portela


Vindos de todos os recantos do Brasil, num coletivo plural e de luta, formado por mais de 700 delegados(as) brasileiros, reuniu-se em Brasilia neste fim de semana, o 14º. Congresso Nacional do PCdoB. Um evento simbólico, de caráter histórico, feito por quem no seu cotidiano, aqui em Caruaru ou em qualquer parte do Brasil, luta pela democracia, pelo desenvolvimento nacional, pelos direitos e pela igualdade, e que trouxe novos ares a discussão da política brasileira.
Delegações convidadas, vindas da Africa do Sul, Angola,Argentina, Bélgica, China, Chipre, Colômbia, Coréia, Cuba, Espanha, Estados Unidos, Grã Bretanha, Grécia, India, Nicarágua, Palestina, Peru, Portugal, Siria, Turquia, Ucrânia, Uruguai e Vietnã prestigiaram e saudaram o PCdoB pela realização de seu congresso.
Unindo novos filiados(as) como a ex-Governadora do Pará Ana Júlia e experientes companheiros de partido, como o Governador do Maranhão Flavio Dino, o PCdoB que chega ao período em que completará 100 anos de existência, se renova, ao lançar durante o Congresso a pré-candidatura de Manuela Dávila a presidência da República.
A pré-candidatura de Manu (como aprendemos carinhosamente a chamá-la), afirma em voz alta, a identidade do partido, seu compromisso com os tempos, o momento da renovação da política brasileira e o empoderamento da mulher brasileira como prática cotidiana.
Manuela d’Ávila é jornalista, tem 36 anos e é deputada estadual desde 2014, a mais votada naquele pleito. Cumpriu dois mandatos como deputada federal, tendo sido, nas duas ocasiões, a mais votada do Rio do Grande do Sul. Em 2010, teve mais de 400 mil votos, o que representou 8,06% dos sufrágios. Foi líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, indicada três vezes pelo DIAP como uma das 100 “Cabeças” do Congresso e cinco vezes ao Prêmio Congresso em Foco, que premia os melhores parlamentares do Brasil. Na Câmara Federal, Manuela foi autora da Lei do Estágio e relatora do Vale-Cultura e do Estatuto da Juventude, presidiu a Comissão de Direitos Humanos e foi coordenadora da bancada gaúcha.
Mas, para além da pré candidatura de Manuela, o PCdoB sinaliza para a sociedade brasileira mais que uma opção a presidência da república. Manuela traz em seu discurso a reflexão da perda da soberania nacional, os retrocessos na sociedade na perspectiva da convivência social, onde sinais de fascismo, conservadorismo e intolerância  arriscam levar o país a desconstrução de sua identidade de povo amigo, hospitaleiro e de unidade nacional. Ela denuncia o desmonte do estado brasileiro, faz a defesa do desenvolvimento da indústria nacional, a defesa da diversidade,  denuncia as desigualdades sociais, causa principal do aumento da violência, e que penaliza em sua grande maioria, pobres, negros e da periferia.
Mas a tarefa de debater tantas pautas urgentes e de tamanha grandeza não cabem a um só ator ou atriz, não é missão de poucos, não tem caráter hegemônico e muito menos salvador da pátria. Por Por essa razão, nosso congresso fortaleceu a construção de uma “FRENTE AMPLA”, de diálogo avançado com todos os setores da sociedade, partidos, políticos, movimentos sócias, empresários, religiosos, estudantes, com todos e todas que desejem trabalhar convergências, de toda a sociedade brasileira, para quena luta democrática e nas ruas possamos reverter os retrocessos que já impõem ao povo brasileiro novamente, os fantasmas da fome, da miséria e da exclusão social, retrocessos esses apoiados nos eixos principais do golpe: Retirar direitos, entregar riquezas e ainda proteger, manter e ampliar a corrupção.
Assim foi o 14º. Congresso do PCdoB. Momento fraterno também de renovar o olhar no horizonte, sem perder a ternura, simbolizada no gesto do compositor Jorge Mautner que, no sábado, anunciou durante o evento, a cessão dos direitos de sua composição “ A Bandeira do meu partido “, que se tornou a partir de agora o hino oficial do PCdoB.
Nós do PCdoB Caruaru celebramos coletivamente a sintonia da nossa construção política local com a do nosso 14º. Congresso Nacional do PCdoB, e continuaremos nossa tarefa de dialogar com a sociedade, seus empreendedores, trabalhadores e trabalhadoras para uma cidade mais humana, inclusiva, e que alcance seu povo tão trabalhador.
Deixamos aqui abaixo a letra da canção/hino do PCdoB. Viva você, viva eu, Viva o PCdoB, Viva Lula, Viva o Brasil, Viva Manuela Dávila também !
A bandeira do Meu Partido
Jorge Mautner
A bandeira do meu partido
é vermelha de um sonho antigo
cor da hora que se levanta
levanta agora, levanta aurora!
Leva a esperança, minha bandeira
tú és criança a vida inteira
toda vermelha, sem uma listra
minha bandeira que é socialista!
Estandarte puro, da nova era
que todo mundo espera, espera
coração lindo, no céu flutuando
te amo sorrindo, te amo cantando!
Mas a bandeira do meu Partido
vem entrelaçada com outra bandeira
a mais bela, a primeira
verde-amarela, a bandeira brasileira.
Lino Portela
Presidente do Diretório Municipal do PCdoB Caruaru

Nenhum comentário:

Postar um comentário