Conselho Regional de Serviço Social realiza debate em Caruaru para celebrar Dia do/a Assistente Social - Blog do Edvaldo Magalhães

17 de maio de 2018

Conselho Regional de Serviço Social realiza debate em Caruaru para celebrar Dia do/a Assistente Social


Nesta quinta-feira (17 de maio), o município de Caruaru recebe a programação de atividades do Conselho Regional de Serviço Social de Pernambuco (CRESS - 4ª Região) alusiva ao Dia do/a Assistente Social, comemorado no ultimo dia 15 de maio. O evento será realizado no auditório da Faculdade Asces-Unita, no horário das 19h às 21h30, sendo aberta a categoria de assistentes sociais, bem como estudantes de Serviço Social.

Para esse evento, estarão fazendo o debate o sociólogo e professor da Uninabuco, Eduardo Mara, que estará falando sobre a atual conjuntura do país e Flávia Clemente, professora do Curso de Serviço Social da UFPE, que falará sobre o tema da campanha do Conjunto CFESS/CRESS: "Nossa escolha é a resistência: somos classe trabalhadora".

O debate vai chamar a atenção para o difícil momento de ataque aos direitos da população, de avanços da onda conservadora e reacionária e de desmontes subsequentes das políticas sociais. E para a necessidade de resistência da classe trabalhadora.

SOBRE A CAMPANHA

A Campanha Nossa Escolha é a Resistência: somos classe trabalhadora é uma iniciativa dos Conselhos Federal e Regional de Serviço Social. É um convite a categoria de assistentes sociais a celebrar o Dia do/a Assistente Social. Para isso, foi criada uma peça gráfica apresentada, que procura reforçar o alerta não só à categoria, mas a toda classe trabalhadora, de continuar resistindo e lutando contra este cenário de insistentes contrarreformas impostas pelo estado burguês que, para manter a elite no poder, se propõe a reduzir ao mínimo as políticas públicas e os direitos sociais.

A peça central de divulgação traz também a frase “Em defesa dos direitos da população e do trabalho profissional com qualidade”, que reafirma o posicionamento crítico da categoria e de que lado ela tem estado nos últimos 35 anos, além de ressaltar a luta pelos direitos do trabalho de assistentes sociais e os impactos na qualidade dos serviços prestados à população.

Dialoga também diretamente com o Código de Ética do/a Assistente Social, principalmente com os princípios fundamentais que afirmam a escolha por um “projeto profissional vinculado ao processo de construção de uma nova ordem societária, sem dominação, exploração de classe, etnia e gênero”; a “articulação com os movimentos de outras categorias profissionais que partilhem com a luta geral dos/as trabalhadores/as”; e com o “compromisso com a qualidade dos serviços prestados à população e com o aprimoramento intelectual, na perspectiva da competência profissional”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário