Funcionários de empresa de ônibus realizam protesto em Caruaru e Secretários Municipais concedem entrevista coletiva - Blog do Edvaldo Magalhães

25 de junho de 2018

Funcionários de empresa de ônibus realizam protesto em Caruaru e Secretários Municipais concedem entrevista coletiva


Os funcionários da Empresa Bahia realizaram um protesto, na manhã desta segunda-feira (25), no Centro de Caruaru. Eles atearam fogo em pneus no início da Rua 15 de Novembro, bloqueando o trânsito, alegando que ficarão desempregados a partir desta terça-feira (26), devido o processo licitatório, que aconteceu em 2015, onde as empresas Coletivo, Tabosa e Capital do Agreste ficaram aptas a rodar com o novo sistema, com isso, Bahia e outras empresas da zona rural, além de transportes alternativos estarão proibidos de circular em Caruaru. 

Os secretários municipais Rubens Júnior (Governo), Luiz Aureliano (Ordem Pública) e Diogo Bezerra (Fazenda), além de Dimitri Bezerra (Controlador Geral) e Roberto Bezerra (presidente da Destra), concederam entrevista coletiva no início da tarde desta segunda-feira (25).

O Controlador Geral, Dimitri Bezerra, afirmou que "o transporte coletivo vai funcionar com muita tranquilidade a partir de agora. O processo licitatório do transporte público foi realizado em 2015, na Gestão anterior, quando os contratos foram firmados e as ordens de serviços foram dados. Por iniciativa do Ministério Público de Pernambuco e Ministério Público de Contas, o processo de concessão das linhas foi suspenso ainda em 2015, quando o Poder Judiciário  e o Tribunal de Contas apuraram supostas irregularidades na condução do processo liciatório. Em meados de 2016, o Tribunal de Contas revogou a cautelar que suspendia, mas a liminar do Poder Judiciário permaneceu, que foi revogada por uma sentença na 2ª Vara da Fazenda Pública de Caruaru, em setembro de 2017, a partir do momento que foi determinado pelo Poder Judiciário, que as ordens de serviços dadas em 2015 deveriam ser revalidadas, a Destra iniciou as vistorias nas empresas ganhadoras do processo licitatório, avaliando a capacidade operativa, sendo encerrado a vistoria agora, colocando em prática a licitação. A empresa Bahia declinou de participar do processo licitatório, por isso não poderá mais atuar no município" concluiu Dimitri. 

Os veículos lotações não poderão fazer as linhas das três empresas vencedoras do processo licitatório, de acordo com o presidente da Destra, Roberto Bezerra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário